Incêndio em tanques de gás provoca grande explosão em indústria cerâmica em Limeira/SP

Você está visualizando atualmente Incêndio em tanques de gás provoca grande explosão em indústria cerâmica em Limeira/SP
  • Última modificação do post:19 de agosto de 2022
  • Categoria do post:Notícias

Vídeo mostra explosão em fábrica de cerâmicas em Limeira

Moradores registraram a bola de fogo na noite deste sábado (13); Corpo de Bombeiros informou que não há feridos e que ficaram destruídos tanques de gás e o telhado da empresa.

Por EPTV e G1 Piracicaba e região

Vídeo mostra explosão em cerâmica de Limeira

Uma explosão atingiu uma cerâmica instalada na cidade de Limeira (SP) na noite deste sábado (13). Um vídeo mostra que uma bola de fogo tomou o céu da cidade e assustou moradores do entorno.

Equipes do Corpo de Bombeiros foram acionadas para comparecer na indústria, localizada na Estrada Municipal SP-335, e o fogo foi controlado. Por volta da meia-noite era realizado trabalho de rescaldo na empresa. Segundo a corporação, não houve vítimas.

Bombeiros controlaram as chamas no final da noite de
sábado (13), em cerâmica de Limeira — Foto: João
Alvarenga/ EPTV

O grupamento informou que houve duas explosões em tanques de gás e que houve danos nestes reservatórios e no telhado da fábrica, que foi todo destruído.

Funcionários ouvidos pela EPTV, afiliada TV Globo, informaram que os reservatórios de gás abastecem os fornos da cerâmica.

De acordo com esses funcionários, o fogo teria começado por volta das 21h, após uma primeira explosão. A cerâmica estava em operação no momento do acidente e foi rapidamente evacuada. No momento da segunda explosão, muito maior, não havia mais funcionários no local.

Bombeiros durante combate ao fogo em taque de gás —
Foto: Divulgação/ Corpo de Bombeiros

Os bombeiros detalharam que o fogo atingiu três tanques, cada um com aproximadamente 80 metros cúbicos.

Como não era possível se aproximar, devido a explosões ocorridas anteriormente, inicialmente a equipe realizou isolamento do local e confinamento do fogo, para que ele não avançasse ao segundo galpão.

A corporação utilizou na ação 18 bombeiros e sete viaturas.

Explosão em fábrica de cerâmicas em Limeira, interior de São Paulo — Foto: Reprodução

Equipes da perícia foram ao local, assim como funcionários das empresas de gás e de energia elétrica, que trabalharam para restabelecer o serviço na região.

A concessionária Elektro, responsável pela rede elétrica, informou que houve apenas uma “perturbação momentânea (tempo menor que 3 minutos) da rede primária”.

“Enviamos nossa equipe para efetuar uma inspeção na rede primária afim de verificar se houve algum dano ou se havia alguma situação de risco devido ao incêndio, porém o incêndio foi na parte interna da cerâmica não causando nenhum outro impacto na rede Elektro”, acrescentou.

A Defesa Civil de Limeira comunicou que vai enviar engenheiros ao local, também neste domingo, para verificar se há necessidade de interdições.

Equipe durante trabalho para restabelecer energia elétrica na área, após
explosão em cerâmica — Foto: João Alvarenga/ EPTV

Explosões em fábrica de cerâmica em Limeira causam estragos e assustam moradores

Tinha funcionários trabalhando no momento da explosão. Apesar do susto, ninguém ficou ferido.

Exibição da matéria em 15 fev 2021 

Link da matéria reproduzida: https://globoplay.globo.com/v/9269251/

Cerâmica de Limeira interditada após explosões acumula duas advertências e cinco multas por falta de licença ambiental

Segundo a Cetesb, também foram negadas duas solicitações de regularização por não terem sido atendidas exigências técnicas. Empresa contesta autuações e diz que tem trabalhado para atender exigências da companhia ambiental.

Por EPTV e G1 Piracicaba e região

Defesa Civil relata irregularidades em fábrica interditada após explosões em Limeira

A Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) informou nesta segunda-feira (15) que a cerâmica onde ocorreram explosões, no último sábado (13), em Limeira (SP), já recebeu duas advertências e cinco multas por operar sem licença ambiental.

De acordo com o órgão, as multas emitidas somam R$ 189.193,00. “Foram emitidos também dois pareceres negados às solicitações de regularização, em razão do não atendimento às exigências técnicas estabelecidas pela Cetesb”, acrescentou.

A companhia acrescentou que a empresa não atendia exigências relativas ao controle da emissão de material particulado (poeiras), como a pavimentação de pátios, fechamento de galpões para armazenamento de argila, fechamento de esteiras de transporte de argila e operação adequada de equipamentos para controle da emissão de material particulado das operações de beneficiamento e prensagem da argila.

Também não atendia à exigência de tratamento dos gases emitidos pelo forno, para remoção de fluoretos, e do adequado armazenamento dos resíduos sólidos, ainda conforme o órgão.

Danos no telhado da empresa foram um dos motivos que levaram à interdição — Foto: Drone César Cocco

Técnicos da Agência Ambiental da Cetesb de Limeira realizaram na manhã desta segunda-feira (15), uma inspeção na empresa.

O objetivo era verificar se havia problemas ambientais gerados em decorrência do incêndio e explosões. “O que verificamos foram resíduos gerados pelo incêndio, que a empresa deverá dar destino adequado”, informou.

Segundo os profissionais, na localidade estavam três tanques de armazenamento de GLP – Gás Liquefeito de Petróleo -, que explodiram e causaram danos às estruturas do galpão industrial. O imóvel da empresa foi interditado pela Defesa Civil.

A companhia ainda informou que caso a empresa não faça adequação de suas pendências ambientais e volte a operar sem a devida licença serão tomadas as respectivas ações legais.

Chegada de equipe da Cetesb na cerâmica, nesta segunda-feira — Foto: Helen Sacconi/ EPTV

O que diz a cerâmica

A empresa informou a empresa “vem trabalhando incessantemente no intuito de atender todas as exigências da Cetesb, o que vem sendo feito de forma gradativa”.

Sobre as multas aplicadas, a empresa avalia que são indevidas e diz que houve o atendimento de todas as exigências solicitadas pela companhia ambiental. O caso foi encaminhado ao Departamento Jurídico para discussão judicial sobre o tema.

A cerâmica comunicou, ainda, que a produção está suspensa, sem previsão de volta. A proporção dos danos ainda está em avaliação.

Além da Cetesb, a Defesa Civil e o Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea) realizaram fiscalizações na cerâmica nesta segunda-feira.

A fábrica registrou pelo menos duas explosões em tanques de gás. Os barulhos foram ouvidos nas cidades vizinhas e assustaram os moradores das redondezas. Uma bola de fogo subiu na segunda explosão e gerou efeito de choque.

A Defesa Civil, que já tinha interditado o local neste domingo (14), manteve a decisão.

“A gente teve acesso agora ao interior da empresa com mais segurança e o resultado é que vai permanecer interditado até que providencie uma empresa especializada para fazer os reparos dos danos ocorridos”, afirmou um responsável pelo órgão, Joaquim Correa.

O prazo para que isso ocorra é da empresa, segundo Correa, porque o local está isolado e, então, não há riscos para os funcionários.

O diretor da fábrica, Ricardo Lourenço Coube, lamentou e disse que o local onde houve as explosões estava regularizado. “Infelizmente não sabemos o que aconteceu, foi uma fatalidade, não temos como explicar o ocorrido. A empresa funcionava normalmente, estava tudo regularizado”, afirmou.

Interdição por falta de AVCB

De acordo com a Defesa Civil, a interdição foi necessária devido ao risco de colapso da estrutura e porque a empresa não tem o auto de vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB).

O Corpo de Bombeiros também apontou, neste domingo, que um incêndio provocou as explosões nos tanques de gás. No entanto, ainda não se sabe o que causou o fogo, o que deve ser avaliado em laudo pericial.

A empresa que fornecia gás para a cerâmica também se pronunciou neste domingo e informou que está oferecendo apoio às autoridades legais nas investigações das causas do acidente.

Gerente da cerâmica, Valmir Rauli afirmou que a fábrica estava em processo de renovação o auto de vistoria do Corpo de Bombeiros, que já tinham realizado orçamentos e estavam com “todos os trâmites prontos” para a regularização.

Sobre a interdição, ele comentou que por causa dos danos do telhado provocados pelas explosões, há riscos em deixar funcionários no local e a empresa aguarda o laudo pericial.

Data da postagem da matéria: 15/02/2021

Link da matéria reproduzida: https://g1.globo.com/sp/piracicaba-regiao/cidade/limeira/

Quais são as medidas de segurança contra incêndio necessárias para tanques de gases inflamáveis?

Na legislação do Estado de São Paulo, as medidas de segurança contra incêndio para edificações e áreas de risco estão previstas no Decreto Estadual 63.911 de 2018.

O primeiro passo é classificar a área de risco e para isso devemos consultar a Tabela 1 do Decreto 63.911.

Classificação de acordo com a Tabela 1:

Grupo: M

  • Ocupação: Especial
  • Divisão: M-2
  • Descrição: Líquido ou gás inflamável ou combustível

Após classificar, devemos consultar a tabela específica de medidas de segurança contra incêndio para a divisão M-2.

Tabela 6M.2Edificações e áreas de risco de divisão M-2 (qualquer área e altura)

Enquadramento:

  • Tanques ou cilindros e processos – Líquidos acima de 20 m³ ou gases acima de 10 m³

Medidas de segurança contra incêndio:

  • Acesso de viatura na edificação
  • Saídas de emergência
  • Gerenciamento de risco de incêndio
  • Brigada de incêndio
  • Alarme de incêndio
  • Sinalização de emergência
  • Extintores
  • Hidrantes e Mangotinhos
  • Resfriamento

Também devem ser verificadas as exigências previstas nas seguintes Instruções Técnicas:

No Guia de Segurança contra Incêndio você consulta toda a legislação do Estado de São Paulo de maneira simples e prática!
E sabe o melhor?
É gratuito!!

Você tem mais informações sobre essa ocorrência?
Qual é a sua opinião sobre este assunto?
Comente aqui embaixo!

Deixe um comentário